REUNIÃO COM A ECT

No último dia 18, estivemos reunidos com a ECT, onde debatemos as várias denúncias e reclamações coletadas em nossa categoria. Fomos recebidos pelos senhores Antenor Olivieri Caixeta (GCTCE), Carlos Antônio Silva (GCTO), Amilton Junca (GERAE), Gelsimar J. F. Couto (SASU/GERAD), Alaerte W. P. da Cunha (SMME/GETEC) e a senhora Zélia R. P. Machado (ASGET), responsáveis pelos setores das ocorrências abordadas. Representando o SINTECT/ES estiveram presentes os dirigentes Fischer Marcelo Moreira, Valéria Cristina F. Silva e Michelle Nunes Germano.
Para todos os questionamentos apresentados houveram respostas, algumas satisfatórias e outras não, como era de se esperar, apresentaremos os tópicos e as respostas dadas:
VEÍCULOS
Segundo a ECT, os veículos parados no complexo de Maruípe estão fora de uso e aguardando leilão. Quanto às motocicletas, eles afirmam que existe uma suspensão no contrato de manutenção e que se faz necessário um novo processo de licitação para a contratação de uma nova empresa, mas que esse problema é uma das prioridades. Já com as bicicletas, reconheceram a necessidade de uma troca e aquisição de 250, mas alegam que a DR/ES sofre com a burocracia estatal para poder adquiri-las.
BANHEIROS
Foram levadas as fotografias retiradas de alguns banheiros das unidades, com ênfase na situação alarmante dos CDD’s de Cariacica. O responsável da área de manutenção nos garantiu que providências estão sendo tomadas, também falaram que já esta em andamento o processo de licitação para a limpeza da unidade.
CTCE
A ECT admite as péssimas condições do imóvel e afirma que ainda este ano sairá a licitação para a construção do novo complexo na Serra, com previsão de dois anos para a construção. Até que isso ocorra, prometem tentar acertar o aluguel de um imóvel de 5Km², próximo ao hospital Dório Silva. Mesmo assim ficaram de consertar os problemas existentes no imóvel, como o buraco no teto do refeitório, por exemplo.
MATERIAL DE TRABALHO
Comunicamos a Empresa as reclamações nas unidades por falta de material básico, como carimbos, canetas, fitilho, etc… A ECT afirma que conforme solicitado pelos gerentes das unidades o material é enviado e que hoje não há motivo para a falta desses materiais. Quanto a reclamação de cadeiras quebradas, nos foi falado que um levantamento será feito, já que essa compra é feita de forma programada
MOT’s
Uma nova contratação será feita, com previsão de ser a ultima. Solicitamos o acompanhamento e um rigor maior, tendo em vista os acontecimentos deste último contrato, a ECT informa que tem autorização para a contratação até iniciar as convocações do concurso ocorrido no dia 15. O SINTECT/ES mantém sua posição contra a manutenção dessa mão de obra, reconhecendo a necessidade de contratação dos aprovados em concurso.
MANUTENÇÃO DE IMPRESSORAS E AR CONDICIONADO
Quanto as impressoras a informação passada é que o contrato com a empresa de manutenção foi suspenso pelo não cumprimento de documentos por parte delas e que nova licitação será feita. Já os leitores e o ar condicionado, se faz necessário que o gerente ou supervisor faça uma solicitação (help desk) para gerar histórico e ser liberada a manutenção ou nova aquisição. Quanto a reclamação dos móveis, a ECT se compromete em consertar desde que seja comunicada, alega que é obrigada a manter um padrão exigido, não podendo haver adaptações.
TRABALHO AOS DOMINGOS E FERIADOS
Esse foi o ponto mais polêmico da discussão, afinal essa é uma das maiores brigas dessa diretoria. Levamos ao conhecimento dos gestores a insatisfação da categoria e do SINTECT/ES com as convocações de forma abusiva e constantes, onde vários trabalhadores informaram sofrer ameaças caso não pudessem comparecer ao trabalho. A ECT insiste que necessita dessa convocação e que em reunião de conciliação entre a ECT, Ministério Publico do Trabalho e a antiga direção do SINTECT/ES, foi comprovado o direito de convocação, caso os 200% sejam pagos ao empregado, com base no acordo coletivo. Mesmo assim o questionamento continuou, onde perguntamos como um empregado pode trabalhar com uma jornada diária de 50 horas de segunda à sexta, trabalhar aos sábados e ser convocado aos domingos. Afinal esse é o quadro de várias unidades no Espírito Santo. A ECT não pretende ceder, mas garantiu evitar ao máximo essas convocações, também prometeu conversar com os gerentes das unidades onde a convocação foi feita com ameaças e nos garantiu que ninguém será punido por não poder ir trabalhar nesses dias, pediram a compreensão do sindicato e de nossa categoria. Prometeram suspender essas convocações com a contratação dos MOT’s, onde afirmam uma contratação de quase 60% a mais do que d ultimo contrato. Além disso, afirmaram que com a convocação dos aprovados no concurso serão implantados todos os distritos do último SD e que atualizações estão sendo feitas, neles para que se possa ampliar essa contratação e a criação dos distritos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s