CAMPANHA SALARIAL: negociação segue com poucos avanços no dia 21

Créditos da Foto: FENTECT

Créditos da Foto: FENTECT

No dia 21 foi  a negociação foi iniciada com a discussão das reivindicações das mulheres ecetistas. A empresa sugeriu uma nova data para tratar do tema com a justificativa que gostaria de garantir mais mulheres na mesa. A comissão concordou, observando que devem ser apresentadas novas propostas que contemplem a pauta e não uma reedição do acordo coletivo. A nova reunião para tratar do tema foi marcada para o dia 02 de setembro.

Foi então discutida a cláusula 60, que trata dos cursos e reuniões obrigatórios. A ECT afirma que os pontos da pauta (respeito ao horário de trabalho, coerência entre temas dos cursos e funções desempenhadas) já são atendidos pelo regulamento da empresa, mas a comissão reivindicou que os cursos e reuniões devem ser realizados no horário de expediente. A empresa ainda deve apresentar quais as exceções para a realização de tais atividades, mas garantiu que a convocação para estes eventos será feita com 72 horas de antecedência.

Posteriormente, a cláusula seguinte (61) foi debatida. O ponto em questão trata do seguro e manutenção da frota operacional, multas de trânsito e qualificação do motorista/motorizado. Tanto para este quando para a cláusula 62 que diz respeito ao transporte noturno inconstante e que prejudica o trabalhador, a empresa se comprometeu a dar um retorno em nova reunião a ser agendada. A FENTECT questiona a falta de adequação da ECT ao modelo de mercado, que coloca os acidentes como responsabilidade da empresa, visto que o risco já está diretamente relacionado à função do trabalhador, portanto não aceita que os danos e prejuízos causados aos veículos sejam imputados aos trabalhadores. Também neste ponto foi cobrado o fornecimento e a manutenção de veículos em boas condições de uso.

Uma nova reunião foi marcada para o dia 22, onde foi apresentado o cenário econômico-financeiro da Empresa, pontuando a evolução do efetivo de empregados, peso das bolsas dos carteiros, comparativo entre o tráfego total e o efetivo operacional, comportamento atual e projeção do lucro da ECT, comparativo entre as despesas com pessoal e a receita de vendas, evolução do custo de produtos e serviços, quadro geral de receita e despesa, entre outros dados. O comando de negociações da Federação solicitou o material da empresa para que seja feita a análise dos dados e o número atual de terceirizados. Uma nova reunião foi agendada para  terça-feira (27), onde as negociações devem continuar a partir da apresentação das análises dos materiais apresentados.

Anúncios

CAMPANHA SALARIAL: calendário de reuniões, trabalho aos fins de semana e feriados e gratificação isonômica estiveram em debate no dia 20

Apesar de a princípio a ECT ter se recusado a realizar negociações em dois turnos diários (pela manhã e pela tarde), foi definido que as reuniões de negociação acontecerão às terças e quintas pela manhã e à tarde e nas segundas e sextas-feiras de acordo com as disponibilidades das comissões.

Em seguida, deu-se início à discussão em torno da Cláusula 16, que trata do fim do trabalho aos fins de semana e feriado. A FENTECT entende que esta é uma questão é fundamental para os trabalhadores, visto que as horas-extra têm se tornado cada vez mais comuns em todos os setores e a empresa abusa das convocações. Além disso, também foi abordado o direito e necessidade de descanso, lazer e convívio familiar. Ainda que a empresa tenha reafirmado que precisa de pessoas para trabalhar nesses dias, o comando de negociação da ECT se comprometeu a levar as considerações feitas para os representantes da área de operações da direção da empresa.

Posteriormente foi discutida a Cláusula 17, sobre a gratificação isonômica de função. A FENTECT questiona a diferenciação entre estados, uma vez que a função desempenhada é a mesma. Neste ponto a empresa não soube esclarecer e acabou se contradizendo, quando apresentou duas justificativas distintas. Ora dizia que a diferenciação acontece devido a um diferencial do mercado, ora afirmava que é por causa do tamanho da DR. Os negociadores da ECT não se comprometeram a definir nada sobre o ponto, mas também afirmaram que levarão as considerações para a diretoria da empresa.

Após 5 reuniões ECT finalmente acata Estatuto da Fentect

Já na 5ª reunião sem discutir sequer um ponto da pauta de reivindicações ECT finalmente aceita a formação do Comando de Negociações da Fentect conforme o estatuto prevê: 11 na mesa e 30 ouvintes

A quinta reunião de negociação da Campanha Salarial 2013 realizada hoje (15) na Universidade dos Correios (UniCo) começou com sinais de que não haveriam avanços, novamente. A Empresa, em falso tom benevolente, afirmou que aceitaria os 11 negociadores da Fentect à mesa, desde que a Federação abrisse mão das filmagens e da presença dos 30 ouvintes.

Mas a Fentect foi firme em sua contestação. “Não está sob jurisdição da Empresa a questão da organização do comando de negociação. A ECT não pode intervir nisso, e deve se ater a negociar outros pontos, referentes à pauta de reivindicação, pois a configuração do Comando não é negociável”, afirmou a Secretária-geral, Anaí Caproni. Anaí prosseguiu, afirmando que também não existe legislação nenhuma que obrigue o movimento sindical a se sujeitar aos desejos da empresa.

Foi declarado, ainda, que o jogo da ECT de tentar desmobilizar os trabalhadores não está funcionando, e só está servindo para deixá-los cada vez mais irritados com o atraso do início das negociações, o que poderá culminar em paralização e ocupação da Empresa. Com essas declarações os negociadores da ECT mudaram de postura e desistiu do retrocesso que de tentar retirar o direito ao comando amplo com as representações sindicais, mas insiste em não permitir as filmagens.
A Empresa sinalizou que irá começar a negociar com o Comando Amplo, mas ainda precisa definir sobre a liberação dos negociadores, que estão em Brasília, mas são trabalhadores da base sem liberação sindical.

Ficou acordado que por hora, as negociações irão acontecer sem transmissão ao vivo. A questão será levada para discussão com os trabalhadores em Plenária Nacional, que acontece no dia 31 de agosto. A partir daí a Federação irá elaborar um “protocolo” que será apresentado à Empresa, contemplando as questões de segurança institucional alegadas por eles.

A reunião foi encerrada com a ECT se comprometendo a começar a negociar na próxima semana, terça-feira, dia 20/08.

Campanha Salarial 2013-2014 reunião com a ECT em 14/08/2014

dsc00990

Na quarta-feira 14 de agosto, aconteceu mais uma reunião entre a ECT e o Comando da FENTECT.

A empresa chegou com a mesma proposta da última reunião. Manteve a postura de não discutir a Pauta de Reivindicações e insiste em intervir no Comando de Negociação da categoria.

O Comando declarou que esperava chegar na reunião para discutir a Pauta de Reivindicação dos trabalhadores. Mas a empresa retrocedeu dizendo que não aceita o Comando dos Trabalhadores, apesar de na última reunião ter dito que hoje viria para negociar e traria a resposta sobre filmagem, transmissão ao vivo.

A empresa negou a filmagem e a transmissão ao vivo. No momento em que fotos iam ser feitas, chegou a tentar impedir que fossem tiradas.

A postura da ECT é de total desrespeito com os trabalhadores e com a organização da categoria. “A ECT quer intervir na organização sindical e isso é inadmissível”, declarou a secretária-geral da Fentect durante as reuniões. Durante a reunião membros do Comando denunciaram que a empresa nem sequer liberou representantes da base que estão em Brasília para negociar. E a ECT continua sem liberar ou negociar com os trabalhadores.

O desrespeito da empresa é tão grande quando um representante do Comando perguntou: “a proposta da empresa é tão ruim assim, que por isso não quer que seja filmada?”, o representante da ECT o chamou de “menino”, como se o que o membro do Comando estava falando fosse uma piada.

O Comando lembrou que seria um retrocesso mudar o Comando, inclusive porque no ano passado já foi feita a negociação com o Comando Amplo, de 11 membros na mesa de negociação e 30 ouvintes.

Um representante do Comando lembrou que a postura da empresa é tão intransigente que ela considerava sentar com 10 na mesa, quando propunha sentar com a Findect (federação paraguaia), mas agora não quer sentar com 11 da FENTECT.
A empresa não levou em consideração os argumentos e mais uma vez encerrou a reunião, propôs a ATA.

Uma nova reunião ficou proposta para amanhã, quinta-feira, às 9h30m.

A FENTECT convida os trabalhadores a acompanhar as informações sobre as negociações e não cair nas provocações da ECT, e suas mentiras no PRIMEIRA HORA que visam dividir os trabalhadores e escolher com quem vai negociar, ou seja, a empresa quer escolher com quem negociar para escolher aqueles que vão aceitar sua proposta miserável e de destruição do Convênio Médico.

Por isso o Comando exige o respeito e que os CORREIOS comecem a negociar a Pauta de reivindicações dos trabalhadores.

O Comando está reunido para elaborar o Informe e enviar junto com a ATA para os sindicatos de base.

ECT desrespeita trabalhadores e atrasa reunião com o Comando de Negociação

A ECT surpreendeu mais uma vez e mostrou seu descaso com os trabalhadores ao se negar a receber o Comando de Negociação nesta terça-feira (06). Os representantes eleitos por assembléias em todo o Brasil foram impedidos de entrar no edifício sede dos Correios, caracterizando mais um episódio de desrespeito e constrangimento na relação com a empresa.

A reunião que estava agendada para as 14h30 foi atrasada devido ao impasse da entrada dos representantes sindicais e posteriormente sob a alegação por parte da empresa de que receberia apenas 05 membros da comissão escolhidos por ela. Como forma de protesto, os trabalhadores se sentaram em frente à porta do edifício-sede da ECT e ocuparam a entrada principal. A Fentect, no entanto, ponderou que o número de membros da comissão (11 representantes para compor a mesa e demais observadores) já havia sido oficializado com a empresa.

Na reunião, que chegou a acontecer depois de todo o impasse, foi consentido repensar a forma de negociação, no que diz respeito ao número de representantes no Comando. Uma nova reunião foi marcada para quinta-feira (08) às 9h.

O SINTECT-ES repudia tais ações da empresa, que usa de manobras para tentar justificar que as negociações não avançam por falta de diálogo com a Federação e informa que não cederá a esse tipo de pressão.

*Com informações da Fentect