Um Feliz Natal e um Novo Ano de Muitas Lutas

natalsintect

Anúncios

TRABALHADORES DECIDEM PELA MANUTENÇÃO DO ESTADO DE GREVE

Em assembleia realizada ontem (16), os trabalhadores optaram pela manutenção do Estado de Greve e a construção de um movimento nacional contra os reflexos negativos da reestruturação na ECT.

Mesmo com o protesto de ontem, os trabalhadores se esforçaram para comparecer a assembleia e avaliar as respostas dadas pela empresa.

Em resumo, a ECT alega que só há estudos de “reorganização e adequação” na rede de varejo e que unidades de distribuição e tratamento não serão fechadas no Espírito Santo, mas como é visível na resposta, a empresa não se compromete com as agências. Quanto ao PROTER, a empresa se compromete em apresentar os estudos solicitados pelo sindicato.

Quanto a entrega matutina, a empresa se compromete a não retroceder e manterá a discussão com a FENTECT, assim como no caso da universalização da entrega. Também informaram que o DDA está suspenso no Espírito Santo até o mês de julho de 2016, conforme comunicado no fórum permanente de proposições de melhorias de gestão em foco no resultado.

Na solicitação da extinção da transferência por necessidade de serviço sem o aval do trabalhador, a ECT foi enfática em dizer que a norma consta no contrato de trabalho de todos empregados do Brasil. Já no tópico referente ao SGDO, a empresa alega que tem feito a discussão com a Federação e que qualquer decisão terá ação nacional, não havendo possibilidade de ações por região. Quanto a manutenção dos setores administrativos no estado, mais uma vez não houve acordo, a VIREV não discute o ponto com o sindicato.

Avaliação

Fica clara a metodologia da empresa: dividir para conquistar. Se observarem, as respostas atendem em partes a área de distribuição e tratamento, mas trata de maneira inflexível as solicitações dos trabalhadores do atendimento e suporte. Conforme avaliado pelos trabalhadores, o documento gerado deve ser levado ao conhecimento da FENTECT para que as demandas sejam tratadas no campo nacional com a unidade de todos trabalhadores do país, pois terão impacto na vida de todos.

Compete ao SINTECT-ES aprimorar o estudo e divulgação, derrubando as falsas informações e mitos divulgados pela empresa, pois a certeza que ataques virão é certa e se não houver unidade da categoria setor por setor irão tombar.

SINTECT-ES entrega Pauta de Reivindicações Regional

corte-negociação

Presidente do SINTECT-ES, Fischer Marcelo, avisa que orientação para greve será mantida sem o estabelecimento de garantias aos trabalhadores.

Na tarde de hoje (10), o SINTECT-ES entregou a Pauta de Reivindicações Regional ao ASGET/ES (assessor de relações sindicais e do trabalho no Espírito Santo). Na reunião, que contou com a presença do advogado do sindicato, o Dr. Henrique Arpini, o presidente do SINTECT-ES comunicou a decisão da assembleia e a insatisfação dos trabalhadores quanto a omissão nas informações solicitadas.

O representante da ECT frisou que irá comunicar a Gerencia de Relação do Trabalho (GRET) em Brasília e os demais setores das macrorregiões sobre a situação e que há o interesse em negociar com os trabalhadores, mantendo a relação negocial no estado e evitando prejuízo para a empresa e população com uma paralisação às vésperas do Natal.

Vamos a luta e com todos os trabalhadores. Em defesa dos trabalhadores e os postos de trabalho.

Assembleia aprova pauta regional e estabelece estado de greve

09/12 – Os trabalhadores reunidos em assembleia debateram sobre os reflexos da reestruturação e as possíveis ameaças aos empregados. Também se discutiu a omissão da empresa quanto aos questionamentos dos trabalhadores e do Sindicato sobre as alterações que a reestruturação e as macrorregiões terão na vida dos ecetistas capixabas.

O sindicato explicou que a movimentação é regional e que nacionalmente nada de efetivo foi construído até então. Também deixou claro que os últimos eventos paredistas não obtiveram abono ou direito a compensação do dia. Os trabalhadores por sua vez deixaram claro que se a luta for válida e houver chance de conquista, irão ao enfrentamento e se comprometeram em serem multiplicadores da mobilização.

Com base, nas várias dúvidas provocadas pela reestruturação e para estabelecer garantias aos trabalhadores, estabeleceu-se a pauta de reivindicações regional com os seguintes pontos:

  • Manutenção de todas as unidades de correio do Espírito Santo (agências, centros e unidades de distribuição, centro de entrega de encomendas, centro de tratamento e setores administrativos);
  • Revisão e suspensão de todas as cobranças aos trabalhadores provenientes do PROTER;
  • Manutenção da entrega matutina;
  • Manutenção da universalização da entrega em todo estado;
  • Extinção do DDA (Distribuição Domiciliar Alternada) e manutenção da entrega diária em todas as unidades de distribuição;
  • Extinção da transferência por necessidade de serviço sem o aval do trabalhador;
  • Suspensão imediata da marcação do ponto eletrônico no SGDO;
  • Manutenção da estrutura gerencial e administrativa no Espírito Santo, assim como lotação de seus respectivos empregados.

 

Se omitir é compactuar e mais uma vez a luta se faz necessária. Contamos com todos, já que é uma pauta que estabelece garantias para todos trabalhadores ecetistas do estado.

Reestruturação X Trabalhadores

cropped-reestruturação

Em documentos que vazaram, ficou claro o posicionamento da empresa. A Reestruturação da ECT tem o objetivo de implantar um terrível plano de austeridade.

A ECT deixou claro que será o trabalhador na base que pagará a conta. Para quem tem mais tempo de casa, o projeto privatista do Correios do Brasil ressuscita de maneira bem clara. Somando toda documentação que temos, as informações que vazaram  e a reunião com a empresa no último dia 08, fica claro que a ECT pretende implantar de imediato ações como:

  • Cortar gastos com a folha de pagamento e benefícios;
  • Revisar e estabelecer alterações nas atividades dos trabalhadores no PCCS;
  • Solicitar a retirada de ações trabalhistas por parte dos sindicatos;
  • Reavaliação do Acordo Coletivo de Trabalho retirando cláusulas que estabelecem garantias e direitos aos trabalhadores que onerem a Empresa;
  • Alocação e realocação do pessoal para viabilizar a reestruturação;
  • Realocação dos trabalhadores dos CEE’s para os CDD’s e sua substituição por terceirizados;
  • Combate ao absenteísmo e verificação de caso a caso sobre atestados e afastamentos (entenda perseguição a quem se afasta ou falta ao trabalho por problemas de saúde);
  • Diminuição da presença e participação das entidades sindicais no cotidiano dos trabalhadores;
  • Retorno das Caixas Postais Comunitárias;
  • Fechamento de 2000 agências em todo país;

Vale ressaltar, que essas ações são reflexo da implantação de 70% do projeto de reestruturação, ou seja, o pior ainda está por vir. A empresa inclusive rompe a estrutura de organizações colocando associações dos mais diversos setores para discutir pontos de impacto em nossa categoria. Mesmo respeitando os demais segmentos, não compreendemos como a ADCAP, por exemplo, que abraçou o prédio da Administração Central contra o AADC dos carteiros no passado (a associação defendia que o pagamento dos 30% levaria a ECT à falência) e que é composta em sua maioria pelo alto escalão da empresa, teria a capacidade de dialogar quanto aos problemas enfrentados pelos trabalhadores de base.

Espírito Santo

Compreendemos que há necessidade de uma luta unificada de toda categoria, mas não podemos ver direitos básicos serem retirados dos trabalhadores e nada fazer. Omitir-se é compactuar com o projeto que querem estabelecer. Dessa forma, estabeleceremos uma pauta mínima de reivindicações regionais e contamos com a categoria para garanti-las.

Pontos a serem discutidos em assembleia do dia 09 de dezembro

  • Manutenção de todas unidades de correio do Espírito Santo (agências, centros e unidades de distribuição, centro de tratamento e setores administrativos);
  • Revisão e suspensão de todas cobranças aos trabalhadores provenientes do PROTER;
  • Manutenção da entrega matutina;
  • Manutenção da universalização da entrega em todo estado;
  • Extinção do DDA (Distribuição Domiciliar Alternada) e manutenção da entrega diária em todas unidades de distribuição;
  • Extinção da transferência por necessidade de serviço sem o aval do trabalhador;
  • Suspensão imediata da marcação do ponto eletrônico no SGDO;
  • Manutenção da estrutura gerencial e administrativa no Espírito Santo, assim como lotação de seus respectivos empregados.

Comunicamos aos trabalhadores de todo estado, que caso não tenhamos essas garantias mínimas, deflagraremos greve em toda base territorial do Espírito Santo à partir da 0h do dia 17 de dezembro de 2015.