SINTECT-ES realiza ato contra as ameaças da reestruturação

Apesar da pressão sofrida pelos trabalhadores para que não aderissem à paralisação nacional – inclusive ameaças de cortes do dia de trabalho e descontos no salário – a categoria ecetista capixaba foi às ruas nesta quarta (27) para lutar por uma empresa pública e de qualidade.

A mobilização nacional proposta pelo calendário de lutas da Fentect propôs defender o caráter público da ECT, bem como protestar contra o fechamento de agências no estado e os cortes e mudanças que estão prejudicando os trabalhadores. A diretoria do sindicato preparou uma carta que foi entregue à população durante o ato. Em convite ao povo para que se junte à luta em defesa da Empresa de Correios e Telégrafos – patrimônio brasileiro com mais de 350 anos – a carta evidencia os problemas sofridos pelos trabalhadores que atrapalham o bom funcionamento da empresa, comprometendo a qualidade das entregas em todo o país.

Uma carta com as principais reivindicações da categoria foi entregue à população

A categoria reivindicou ainda a revogação da cobrança extraordinária para o equacionamento do fundo de pensão dos trabalhadores ecetistas, melhores condições de trabalho e contratação imediata dos aprovados no concurso realizado no ano de 2011.

Ecetistas vão à luta no Centro de Vitória

O ato teve início na Praça Oito, no Centro de Vitória, onde os trabalhadores se concentraram antes de seguir para o prédio central dos Correios. Em frente ao prédio faixas foram estendidas e enquanto alguns trabalhadores entregavam a carta com as reivindicações da categoria às pessoas que passavam pelo local outros aproveitavam o sinal fechado para abrir faixas contra a reestruturação implementada de maneira arbitrária pela ECT.

20160427_114938

Paralisação nacional dos Correios: ecetistas capixabas na luta por uma empresa 100% pública e de qualidade

A adesão – tanto dos trabalhadores quanto da população que manifestou seu apoio – reflete uma luta que não é apenas em defesa do patrimônio brasileiro, mas de toda a classe trabalhadora.

Anúncios

Mais unidades sofrem ameaças de corte de energia elétrica

Na última semana o SINTECT-ES denunciou o corte de energia que ocorreu na AC São João em Cariacica e na ocasião relatou que havia denúncias de que outras unidades também estavam com as contas atrasadas. Ontem (13) foi a vez do CDD Prainha sofrer com a possibilidade de corte na distribuição de energia elétrica, no entanto após negociações o corte foi suspenso temporariamente.

ECT patrocina

O sindicato já se posicionou por meio de ofício enviado à empresa cobrando explicações e os devidos pagamentos atrasados. A diretoria do SINTECT-ES também afirma que é inadmissível que o sucateamento da atual gestão coloque em risco a integridade física e mental dos trabalhadores ecetistas expostos a situações constrangedoras como estas.

Sindicato denuncia: AC de Santa Maria de Jetibá está fechada desde março

A AC de Santa Maria de Jetibá se encontra fechada desde o dia 17 de março, devido à falta de acordo para a renovação do contrato de locação. Os trabalhadores da unidade tiveram que voltar para o antigo imóvel que foi desocupado anteriormente por não acomodar todo o quadro de funcionários de forma adequada.

Os atendentes foram enviados para outras agências, mas sem acesso ao sistema puderam apenas prestar suporte. Os carteiros tiveram que buscar cargas em outras unidades, inclusive os registrados que estavam sendo lançados em Viana (a mais de 100 km de distância do município). Em uma das viagens, um trabalhador perdeu o controle do veículo e se acidentou.

CAMERA

As obras no imóvel dos Correios ainda não foram concluídas

Atualmente a carga vem de Colatina e os atendentes retornaram, mas os registrados continuam gerando problema, pois o lançamento e baixa agora são realizados na cidade do Noroeste do estado, a 90 km de Santa Maria.

Não há previsão para reabertura e apesar da reforma do imóvel estar quase concluída, não há condições mínimas para a execução das atividades postais, em razão da falta de segurança e acesso ao sistema. As obras também não estão atendendo as normas de acessibilidade, visto que não há sequer rampa de acesso na unidade, o que prejudica o atendimento ao público. Sem mais respostas da empresa, o SINTECT-ES recebeu a denúncia e já está encaminhando as medidas necessárias para tentar resolver a situação.

Agência fica sem energia por falta de pagamento

O sindicato esteve nesta quarta-feira (06) na AC São João em Cariacica para apurar a denúncia sobre as condições de trabalho na unidade. Na tarde de ontem os trabalhadores foram surpreendidos por um corte de energia por falta de pagamento e tiveram que se deslocar para outras unidades do município. Só o que se sabe até o momento são rumores de que outras agências também estão com as contas atrasadas e podem sofrer o mesmo transtorno.

Este é o reflexo da modernização proposta na reestruturação da ECT. Ameaças não apenas aos postos de trabalho, mas às condições e à falta de estabilidade. O trabalhador não sabe nem se vai conseguir realizar o próprio trabalho.

O SINTECT-ES denuncia o absurdo da situação e aguarda o retorno da empresa para que tudo se resolva o quanto antes.