SINTECT-ES lança campanha em defesa dos Correios

Durante a Conferência Estadual, realizada no dia 24 de novembro no auditório da Faculdade Estácio de Sá, a assessoria de comunicação do SINTECT-ES apresentou também uma campanha em defesa dos Correios. Com o título “Defender os Correios é defender o Brasil”, a campanha tem como objetivo propor diversas ações que permitam comunicar a importância de preservação do caráter público da ECT.

Defesa dos Correios

Identidade visual da campanha

 

A identidade visual acompanha o material feito para panfletagem durante a campanha salarial. Na ocasião foi desenvolvido um panfleto com explicações sobre os principais pontos da “crise” pela qual os Correios estão passando. Em pequenos trechos é possível entender os motivos do atual sucateamento promovido pela gestão Guilherme Campos, quem lucra e quem perde com uma possível privatização. Como a recepção foi boa, o sindicato decidiu estender as ações desenvolvendo uma campanha que ampliasse o diálogo, sobretudo com a população, escolhido como público principal.

CONF. CORREIOS-40

Assessoria do SINTECT-ES apresentou oficialmente a campanha

Durante a apresentação, ressaltou-se a importância de defender os Correios e sua função social, debatendo integração, segurança e soberania nacional. Durante os próximos meses novas atividades serão propostas. Luara Ramos, assessora do SINTECT-ES reafirmou a importância da participação de todos os trabalhadores para que a campanha tenha sucesso.

Faça o download do material em PDF: Defesa dos Correios

Anúncios

Sindicato realiza conferência em defesa do caráter público dos Correios nesta sexta

O SINTECT-ES realiza amanhã (24) em Vitória a Conferência Estadual em defesa dos Correios como empresa pública e de qualidade. O evento tem como objetivo discutir o momento pelo qual a empresa está passando e sua relevância para o país, passando por sua função social e as consequências de uma possível privatização, que já foi – inclusive – sinalizada diversas vezes desde que Temer assumiu a presidência.

Mesmo desmentida em todas as ocasiões, a privatização dos Correios é recorrente no debate sobre o sucateamento pelo qual a empresa tem passado. Por isso a discussão também é importante para apontar novos caminhos para a estatal em meio a um processo de corte de verbas e direitos dos trabalhadores.

convite conferência

Palestrante da noite, o mestre em geografia pela USP, Igor Venceslau, é autor de um trabalho recente sobre a importância dos Correios e o uso do território brasileiro. Segundo Venceslau, os Correios cumprem papel fundamental na garantia da soberania nacional.

Outra presença confirmada é a de Marcos Santos, secretário geral da FAMOPES, federação de movimentos populares do Espírito Santo. Marcos representará a sociedade civil organizada que também sofre com o fechamento de unidades, aumento dos preços e má qualidade dos serviços prestados. Para o presidente do SINTECT-ES, Fischer Moreira, “a ideia é que o evento seja aberto à população para que o debate seja franco e todos possam entender a importância dos Correios, inclusive pela função social que exerce”.

Lançamento da Campanha em Defesa dos Correios

A Conferência Estadual é a primeira atividade da campanha “Defender os Correios é defender o Brasil” que será lançada pelo SINTECT-ES na ocasião. A ideia é convidar a população para o debate visando defender o patrimônio público, afinal como ressalta o presidente Fischer Moreira “os Correios têm mais de 350 anos de serviços prestados ao povo brasileiro e entregar uma empresa com este tamanho e essa tradição é um equívoco que só pode partir de quem não tem compromisso, nem projeto para o Brasil”.

 

URGENTE: ECT desiste de mediação no TST e deve entrar com dissídio em relação ao plano de saúde

A ECT protocolou na última terça-feira (07) um pedido de desistência da mediação no TST que tratava do plano de saúde. No documento que o SINTECT-ES teve acesso a empresa justifica o pedido dizendo que esgotou as possibilidades de negociação e empurrando para os trabalhadores a responsabilidade pela falta de consenso. Segundo representantes dos Correios as federações não enviaram a resposta à proposta no tempo estabelecido.

931766e7589211cb06b3d12096db4169

Abril de 2017: representantes dos trabalhadores durante uma das primeiras reuniões para tratar do plano após a formação da comissão paritária. ECT desistiu da mediação na última quarta-feira (07)

A desistência da ECT acontece após o pedido de esclarecimento de alguns pontos solicitado pela FENTECT que encaminhou documento ao TST no dia 31 de outubro. De acordo com a empresa os trabalhadores estão tentando “procrastinar” as negociações, mas como diz o ditado: quem não deve, não teme. A verdade é que ao partir para a truculência mais uma vez a ECT parece querer esconder a verdade dos fatos. Por que não aguardar a resposta do TST? Por que temer o crivo dos trabalhadores nas assembleias?

O que a ECT não quer de forma alguma é o inevitável momento em que terá que abrir a caixa preta que se transformaram as finanças da empresa. O balanço – que não é apresentado há mais de ano – poderia colocar um ponto final na discussão sobre o déficit que Guilherme Campos insiste em empurrar para os trabalhadores. Mas ao invés de uma solução óbvia o presidente nacional dos Correios e seus capangas preferem onerar quem mais precisa e manter os privilégios de uma casta que parece intocável.

É provável que o próximo passo seja o dissídio sobre o plano de saúde. Um benefício que custa aos cofres da ECT apenas 10% da receita, mas que segundo a empresa está levando os Correios à “falência”. Vamos precisar estar mais unidos que nunca se não quisermos perder um direito para sustentar os filhotes do desgoverno Temer.