Assembleia Geral Extraordinária

O Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Correios, Prestação de Serviços Postais, Telégrafos, Encomendas e Similares do Estado do Espírito Santo – SINTECT/ES, situado na Avenida Jerônimo Monteiro, 240, Salas 903/904, Edifício Ruralbank, Centro – Vitória/ES, vem, através de seu representante legal, convocar todos os trabalhadores em sua base territorial a comparecerem a assembleia geral extraordinária, que se realizará no dia 18 de junho de 2014, às 18 horas e 30 minutos, no Auditório do SINTRACONST, localizado a Rua Pereira Pinto, nº 37, Próximo à Ladeira São Bento, Centro, Vitória – ES em primeira convocação, com metade dos associados, e às 19 horas, em segunda e última convocação, com qualquer número de associados presentes, para deliberar sobre os seguintes assuntos constantes na pauta:

• Eleição de delegados para XXXII CONREP;
• Eleição de delegadas para XVII Encontro de Mulheres;
• Outros assuntos.

 

 

 

Vitória, 11 de junho de 2014

Fischer Marcelo Moreira dos Santos

Presidente

Anúncios

TST determina o fim da Greve dos Trabalhadores dos Correios

Em audiência realizada hoje, na sede do Tribunal Superior do Trabalho em Brasília, aconteceu o julgamento do Dissídio referente à Campanha Salarial e às greves dos trabalhadores dos Correios deste ano.

O TST determinou o fim da atividade paredista, bem como o retorno dos ecetistas às atividades no dia 10 (quinta-feira). A greve não foi considerada abusiva e os  trabalhadores terão até 180 dias (6 meses) para repor os dias parados de segunda a sexta, com até duas horas extra por dia. O trabalhador não precisará pagar sábados e domingos e terá garantia de emprego até 90 dias após a data de publicação do acórdão, conforme deferimento do ministro relator Fernando Eizo Ono. No caso de descumprimento de retorno ao trabalho, cabe multa diária de R$ 50 mil à FENTECT.

???????????????????????????????

Vitória dos Trabalhadores: empresa é obrigada a manter Plano de Saúde atual

Um dos pontos mais discutidos do julgamento, a cláusula 11 tratava da manutenção do atual modelo do Plano de Saúde da ECT, o CorreiosSaúde. Segundo determinação do TST, a empresa é obrigada manter o modelo atual, uma vez que no entendimento do ministro, é ela quem tem que arcar com a responsabilidade de gestão do plano. Essa garantia será mantida até pelo menos o dia 30/10/2013, quando haverá novo julgamento para tratar de uma ação movida pela FENTECT para questionar a assistência médica atual proporcionada pela ECT e o novo modelo que a empresa pretende implantar.

Eixo Econômico e Benefícios

Sob a alegação de que a última proposta feita pela empresa estava acima dos principais índices de inflação do período, o relator determinou reajuste de 8% sobre o salário e 6,23% sobre os demais benefícios. Além disso, incluiu o vale-cultura no valor de R$ 50,00 mensais e o direito à ausência remunerada de cinco para seis dias para acompanhamento de dependentes ao médico.

*Com informações do Portal do TST

Após 5 reuniões ECT finalmente acata Estatuto da Fentect

Já na 5ª reunião sem discutir sequer um ponto da pauta de reivindicações ECT finalmente aceita a formação do Comando de Negociações da Fentect conforme o estatuto prevê: 11 na mesa e 30 ouvintes

A quinta reunião de negociação da Campanha Salarial 2013 realizada hoje (15) na Universidade dos Correios (UniCo) começou com sinais de que não haveriam avanços, novamente. A Empresa, em falso tom benevolente, afirmou que aceitaria os 11 negociadores da Fentect à mesa, desde que a Federação abrisse mão das filmagens e da presença dos 30 ouvintes.

Mas a Fentect foi firme em sua contestação. “Não está sob jurisdição da Empresa a questão da organização do comando de negociação. A ECT não pode intervir nisso, e deve se ater a negociar outros pontos, referentes à pauta de reivindicação, pois a configuração do Comando não é negociável”, afirmou a Secretária-geral, Anaí Caproni. Anaí prosseguiu, afirmando que também não existe legislação nenhuma que obrigue o movimento sindical a se sujeitar aos desejos da empresa.

Foi declarado, ainda, que o jogo da ECT de tentar desmobilizar os trabalhadores não está funcionando, e só está servindo para deixá-los cada vez mais irritados com o atraso do início das negociações, o que poderá culminar em paralização e ocupação da Empresa. Com essas declarações os negociadores da ECT mudaram de postura e desistiu do retrocesso que de tentar retirar o direito ao comando amplo com as representações sindicais, mas insiste em não permitir as filmagens.
A Empresa sinalizou que irá começar a negociar com o Comando Amplo, mas ainda precisa definir sobre a liberação dos negociadores, que estão em Brasília, mas são trabalhadores da base sem liberação sindical.

Ficou acordado que por hora, as negociações irão acontecer sem transmissão ao vivo. A questão será levada para discussão com os trabalhadores em Plenária Nacional, que acontece no dia 31 de agosto. A partir daí a Federação irá elaborar um “protocolo” que será apresentado à Empresa, contemplando as questões de segurança institucional alegadas por eles.

A reunião foi encerrada com a ECT se comprometendo a começar a negociar na próxima semana, terça-feira, dia 20/08.

Campanha Salarial 2013-2014 reunião com a ECT em 14/08/2014

dsc00990

Na quarta-feira 14 de agosto, aconteceu mais uma reunião entre a ECT e o Comando da FENTECT.

A empresa chegou com a mesma proposta da última reunião. Manteve a postura de não discutir a Pauta de Reivindicações e insiste em intervir no Comando de Negociação da categoria.

O Comando declarou que esperava chegar na reunião para discutir a Pauta de Reivindicação dos trabalhadores. Mas a empresa retrocedeu dizendo que não aceita o Comando dos Trabalhadores, apesar de na última reunião ter dito que hoje viria para negociar e traria a resposta sobre filmagem, transmissão ao vivo.

A empresa negou a filmagem e a transmissão ao vivo. No momento em que fotos iam ser feitas, chegou a tentar impedir que fossem tiradas.

A postura da ECT é de total desrespeito com os trabalhadores e com a organização da categoria. “A ECT quer intervir na organização sindical e isso é inadmissível”, declarou a secretária-geral da Fentect durante as reuniões. Durante a reunião membros do Comando denunciaram que a empresa nem sequer liberou representantes da base que estão em Brasília para negociar. E a ECT continua sem liberar ou negociar com os trabalhadores.

O desrespeito da empresa é tão grande quando um representante do Comando perguntou: “a proposta da empresa é tão ruim assim, que por isso não quer que seja filmada?”, o representante da ECT o chamou de “menino”, como se o que o membro do Comando estava falando fosse uma piada.

O Comando lembrou que seria um retrocesso mudar o Comando, inclusive porque no ano passado já foi feita a negociação com o Comando Amplo, de 11 membros na mesa de negociação e 30 ouvintes.

Um representante do Comando lembrou que a postura da empresa é tão intransigente que ela considerava sentar com 10 na mesa, quando propunha sentar com a Findect (federação paraguaia), mas agora não quer sentar com 11 da FENTECT.
A empresa não levou em consideração os argumentos e mais uma vez encerrou a reunião, propôs a ATA.

Uma nova reunião ficou proposta para amanhã, quinta-feira, às 9h30m.

A FENTECT convida os trabalhadores a acompanhar as informações sobre as negociações e não cair nas provocações da ECT, e suas mentiras no PRIMEIRA HORA que visam dividir os trabalhadores e escolher com quem vai negociar, ou seja, a empresa quer escolher com quem negociar para escolher aqueles que vão aceitar sua proposta miserável e de destruição do Convênio Médico.

Por isso o Comando exige o respeito e que os CORREIOS comecem a negociar a Pauta de reivindicações dos trabalhadores.

O Comando está reunido para elaborar o Informe e enviar junto com a ATA para os sindicatos de base.

ECT desrespeita trabalhadores e atrasa reunião com o Comando de Negociação

A ECT surpreendeu mais uma vez e mostrou seu descaso com os trabalhadores ao se negar a receber o Comando de Negociação nesta terça-feira (06). Os representantes eleitos por assembléias em todo o Brasil foram impedidos de entrar no edifício sede dos Correios, caracterizando mais um episódio de desrespeito e constrangimento na relação com a empresa.

A reunião que estava agendada para as 14h30 foi atrasada devido ao impasse da entrada dos representantes sindicais e posteriormente sob a alegação por parte da empresa de que receberia apenas 05 membros da comissão escolhidos por ela. Como forma de protesto, os trabalhadores se sentaram em frente à porta do edifício-sede da ECT e ocuparam a entrada principal. A Fentect, no entanto, ponderou que o número de membros da comissão (11 representantes para compor a mesa e demais observadores) já havia sido oficializado com a empresa.

Na reunião, que chegou a acontecer depois de todo o impasse, foi consentido repensar a forma de negociação, no que diz respeito ao número de representantes no Comando. Uma nova reunião foi marcada para quinta-feira (08) às 9h.

O SINTECT-ES repudia tais ações da empresa, que usa de manobras para tentar justificar que as negociações não avançam por falta de diálogo com a Federação e informa que não cederá a esse tipo de pressão.

*Com informações da Fentect

ASSEMBLEIA 28/08

 

Informamos aos trabalhadores que necessitarem de transporte, que comuniquem a entidade. Na avaliação da Campanha Salarial será proposto a decretação do estado de greve e a deflagração para o dia 11/09, seguindo orientação da FENTECT. Contamos com a participação de TODOS os trabalhadores, tendo em vista a importância desta assembleia, que será a resposta à postura que a ECT vem tendo com os trabalhadores.

Proposta da ECT é rejeitada por unanimidade no Espírito Santo

Apesar do dia chuvoso e do misterioso sumiço da carga, a assembleia contou com um bom número de participantes, além da presença de praticamente todas unidades da região metropolitana. A assembleia foi um momento muito interessante onde os trabalhadores puderam esclarecer diversas dúvidas e se manisfestaram positivamente, quanto a mobilização e insatisfação com o posicionamento da ECT durante a negociação do Acordo Coletivo 2012/2013. A proposta da ECT de 3% foi repudiada pelos trabalhadores, que consideram qualquer discussão que envolva índices inferiores à inflação do período como ofensa e retrocesso semelhante aos governos neoliberais que tanto abominamos. Também foi aprovada moção de repúdio quanto ao decreto n°7.777, no qual, a presidente Dilma Rousseff autoriza os órgãos e entidades à recorrerem aos Estados e/ou municípios a compartilharem a execução de atividades e serviços das estatais em greve. Na verdade, o que podemos observar é um ataque ao direito de greve, atacando um direito constitucional com o objetivo de enfraquecer a força das categorias em greve.

ECT: Aumento real de R$ 200 é idéia “razoável”, diz o ministro Paulo Bernardo

No último dia 28, no Encontro Estadual do Partido dos Trabalhadores do Paraná, o Ministro das Comunicações Paulo Bernardo, afirmou, após ser questionado por trabalhadores presentes no encontro sobre a Campanha Salarial 2012/2013, que uma reivindicação de um aumento linear de R$200,00 seria razoável: “Claramente é uma ideia (o aumento real de R$ 200 linear para todos) de privilegiar mais quem ganha menos, e menos quem ganha mais”, disse o ministro. “Eu acho que é uma coisa razoável. Nós temos que discutir.”

Em contrapartida, o ministro mostrou que não tem interesse em atender a reivindicação da Pauta Nacional dos trabalhadores, que pede salário base de R$2.500,00 e aumento de 43,7%, referente à perdas históricas da nossa categoria: “Agora, 47% também não dá, né. Nós estamos com inflação de 3,5%, vocês vão reivindicar 47%, não dá”, disse o ministro Paulo Bernardo.

É preciso lembrar que as afirmações do ministro são duvidosas e que sem mobilização não teremos nada, pois a presidente Dilma Rousseff também falou no início do ano que não daria aumento superior a inflação. É chegada a hora de saber se realmente a ECT quer negociar ou não e se receberemos uma proposta decente ou ficaremos na mesma enrolação da campanha salarial passada.

Conceito básico da mobilização

Basicamente, a mobilização ocorre quando todos ou maior parte dos trabalhadores mostram-se unidos e dispostos a apoiar a entidade sindical que os representa, no nosso caso a FENTECT. A ameaça de greve e a suspensão das atividades obrigariam a ECT a procurar o diálogo, pois caso a empresa venha a fechar, deixará de ganhar dinheiro, ainda que continue a gastar com impostos, aluguéis, energia e manutenção. Quanto mais tempo durar uma greve, mais dinheiro a ECT perde.

SINTECT-ES

“UM SINDICATO DE BASE FEITO PELA BASE”