Ecetistas capixabas fazem ato em defesa dos Correios e do Plano de Saúde

Os trabalhadores dos Correios do Espírito Santo fizeram uma paralisação nesta segunda-feira (12) em defesa do plano de saúde da categoria, cujo custeio foi julgado na tarde de hoje no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Cerca de 70% da distribuição e 40% das agências foram paralisadas, mas em assembleia realizada ao final do ato de hoje os trabalhadores decidiram pelo retorno imediato ao trabalho a partir de amanhã (13).

Paralisação Correios ES

A categoria entende que por se tratar de uma movimentação que também envolve uma decisão a mobilização continua, mas não deve afetar os cidadãos que dependem dos serviços de Correios. Portanto a paralisação de hoje foi principalmente para dialogar com as pessoas e externar as causas da categoria, que inclusive coadunam com as demandas da população que deseja um serviço de qualidade.

Além da defesa do plano, os ecetistas também reivindicaram melhores condições de trabalho e pautaram a luta contra a privatização, uma vez que o sucateamento da ECT tem evidenciado a tentativa de entrega dos Correios para a iniciativa privada, bem como a aprovação de projetos que ameaçam os postos de trabalho.

Solidariedade marca o ato em frente ao prédio central 

DSCN0572.JPG

O radialista Paulo Carvalho fez questão de se mostrar solidário à luta dos trabalhadores ecetistas

Durante o ato os ecetistas receberam apoio de outras categorias e até transeuntes que se solidarizaram com a luta. Paulo Carvalho, radialista e líder comunitário de Viana, pediu para externar seu apoio às causas do movimento: “Força! A luta é justa, a greve é justa e eu estou com vocês!”. O estudante João Alexandre Wyatt, membro do Diretório Central dos Estudantes da UFES lembrou a privatização que tanto onera os trabalhadores em detrimento do empresariado e responsabilizou a classe política que continua oprimindo o povo para manter seus privilégios.

Assembleia votou pela manutenção do estado de greve

Ao final do ato os trabalhadores se deslocaram para a Praça Oito onde realizaram uma assembleia para deliberar sobre a paralisação. Foi decidido o retorno aos postos de trabalho, mas mantiveram o estado de greve, portanto a mobilização contínua é necessária para que novos retrocessos não venham a acontecer.

Decisão do TST é pelo pagamento de mensalidade

Como esperado a maioria dos juízes do TST votaram pela cobrança de mensalidade no plano pelos trabalhadores e seus dependentes. A tabela com os valores será entregue às federações, mas é provável que o cálculo seja o mesmo já apresentado anteriormente.

Sobre a permanência dos pais no plano, ficou decidido pelo pagamento de mensalidade por um ano, quando será novamente discutido este ponto. A exceção são os pais que já se encontram em tratamento e devem manter os moldes atuais de cobrança até receberem alta médica.

O SINTECT-ES convoca todos a se manterem alertas para as próximas movimentações, quando será possível saber exatamente o que muda e o que pode ser feito para que essa decisão não prejudique ainda mais os trabalhadores.

Leia na íntegra a nota sobre a paralisação de hoje:

NOTA SOBRE A PARALISAÇÃO DOS ECETISTAS CAPIXABAS EM DEFESA DO PLANO DE SAÚDE

O SINTECT-ES parabeniza os trabalhadores pela adesão à paralisação no dia de hoje. Mesmo com a decisão pelo pagamento de mensalidade, a manutenção dos pais no plano é reflexo da luta dos ecetistas que não se acovardaram nesse momento tão crítico.

A assembleia deliberou pelo retorno ao trabalho a partir de amanhã (13), pois os trabalhadores entenderam que, com a judicialização da matéria, o movimento precisa agora ganhar corpo na disputa das bases e com a população, que precisa ser continuamente alertada sobre os riscos do discurso privatista. A mobilização é constante para que os direitos da categoria e os Correios como empresa pública não continuem a ser atacados.

Os trabalhadores mantiveram o estado de greve, portanto novas paralisações podem acontecer. Só a unidade da classe trabalhadora pode revogar injustiças e fazer avançar nas conquistas.

Anúncios

Trabalhadores dos Correios entram em greve na segunda-feira

Os trabalhadores dos Correios do Espírito Santo entrarão em greve por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira (12). A data foi escolhida por ser também o dia do julgamento sobre o custeio do plano de saúde da categoria no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Atualmente a ECT quer retirar dependentes e cobrar mensalidade pelo plano e em janeiro o presidente Michel Temer promulgou uma portaria que retira pais e aposentados dos planos de saúde das empresas estatais, além de limitar os gastos, o que fatalmente recai sobre os beneficiários. Diante das ameaças a umas das mais significativas conquistas dos ecetistas e por terem aceitado reajustes menores durante anos para manter o plano, os trabalhadores aprovaram a paralisação.

Além da defesa do plano de saúde, os trabalhadores dos Correios também reivindicam melhores condições de trabalho e denunciam as tentativas de privatização da empresa. Para o SINTECT-ES é evidente que o sucateamento ocorrido nos últimos anos visa o desgaste da ECT junto à população e o fortalecimento do discurso privatista. Segundo o presidente do sindicato, Fischer Moreira, “A ECT diz que há uma crise, mas continua beneficiando aliados políticos e firmando contratos sem licitação. Para patrocínios sem critério sobra dinheiro, mas para os trabalhadores fica a conta a ser paga. A categoria não pode aceitar perder mais direitos e contamos com a população para compreender e ajudar a defender esta empresa que é um patrimônio de todos os brasileiros!”.

Ato em defesa do Plano de Saúde e dos CorreiosAto em Defesa do Plano de Saúde

Na segunda-feira pela manhã, os trabalhadores e seus familiares realizarão uma passeata no Centro de Vitória em defesa do plano de saúde e dos Correios como empresa pública e de qualidade.

O ato acontecerá pela manhã, a partir das 10h e sairá do início da Avenida Jerônimo Monteiro até o prédio central dos Correios.

 

NOTA DO SINTECT-ES SOBRE A AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO DO PLANO DE SAÚDE DOS ECETISTAS

 


NOTA AUDIÊNCIA PLANOA audiência de conciliação realizada na tarde de ontem (22) em Brasília apresentou poucas surpresas. O ministro do TST que mediou a audiência se limitou a repetir a proposta anterior, acrescentando novos itens que continuam confusos. A FENTECT já havia pedido esclarecimentos e a confusão parece ser proposital, visto que o prazo dado para a resposta também é curto. Temos, portanto, um imenso desafio se quisermos defender o nosso plano de saúde.

O primeiro ponto que torna legítima a resistência à proposta é o não cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho por parte da ECT. Desde o início de 2017 a empresa vem travando a luta contra o plano de saúde, mas ao mesmo tempo em que cobra dos trabalhadores, se nega a apresentar dados reais sobre a situação financeira. Segundo a FENTECT, as despesas com o plano de saúde equivalem apenas a 10% do faturamento dos Correios. Se a empresa se opõe a isso é preciso colocar de vez as cartas na mesa para que a negociação seja justa.

A proposta também afeta principalmente a maior parte dos trabalhadores que recebem os menores salários, o que a torna completamente perversa. O pagamento de mensalidade com limitação de dependentes e uma coparticipação comprometerá boa parte dos rendimentos dos trabalhadores. Não é justo que quem mais precisa do plano, que já sofre com a defasagem de seu salário, veja o que lhe resta de dinheiro indo para despesas que deveriam ser parte do compromisso da empresa com a saúde do trabalhador.

Além disso é preciso reafirmar que a entrega do plano de saúde pode significar a pavimentação de um caminho sem volta: a privatização. Não podemos ficar de braços cruzados enquanto nos jogam num futuro de incertezas.

Em um momento de crise institucional como o que vivemos no Brasil, não há com quem contar ou que esperar. A ECT tentou de todas as formas realizar manobras que desagregassem e confundissem a categoria. Atrasou as negociações na última campanha salarial, ameaçou e perseguiu. Cabe aos trabalhadores desempenharem sua função de classe se opondo a tudo que ataque seus direitos e conquistas.

Conclamamos todos os ecetistas capixabas a seguirem a orientação da federação e REJEITAREM a proposta de custeio do plano que onera os trabalhadores, retira os pais e mães do plano, mas mantém intactos os privilégios de Guilherme Campos e sua turma.

Todos na assembleia do dia 01 de março no SINTRACONST-ES para REJEITARMOS essa proposta absurda e deliberarmos pela GREVE por tempo indeterminado a partir das 0h do dia 12/03/2018 em defesa do plano de saúde.

Quando a situação é grave a solução é greve!

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Correios Prestadora de Serviços Postais, Telegráficos, Encomendas e Similares do Estado do Espírito Santo – SINTECT/ES, CNPJ: 28.521.474.0001/06

O Presidente do SINTECT-ES, no uso de suas atribuições legais e estatutárias convoca todos os trabalhadores dos Correios do Estado do Espírito Santo, associados ou não para assembleia extraordinária a realizar-se no dia 01 de março de 2018 no auditório do SINTRACONST-ES, sito a Rua Pereira Pinto, 37 – Centro – Vitória – ES às 18:00h em primeira convocação e em segunda convocação às 18:30h, com qualquer número de presentes para deliberar sobre a seguinte pauta:

1 – Avaliação da proposta apresentada pelo Ministro do TST para o Plano de Saúde;

2 – Aprovação do Estado de Greve no estado do Espírito Santo, com indicativo de Greve por tempo indeterminado a partir das 00 horas do dia 12/03/2018;

3 – Informes gerais.

Esta instância tem poderes deliberativos e as decisões tomadas atingirão todos os integrantes da categoria profissional independente do comparecimento.

Vitória – ES, 24 de fevereiro de 2018.

Fischer Marcelo Moreira dos Santos

SINTECT/ES

Categoria aprova proposta por mais segurança em unidades, mas mantém o estado de greve

Na assembleia realizada pelo SINTECT-ES na noite desta terça-feira (09), que discutiu o aumento dos casos de violência contra trabalhadores dos Correios no Espírito Santo, os ecetistas votaram pela aprovação da proposta da ECT que visa a implantação gradual de mais segurança nas unidades do estado.

04

Assembleia aconteceu nesta terça-feira (09) no SINTRACONST-ES

A proposta chega em um momento de acirramento das negociações em que a categoria se mobiliza para paralisar as unidades caso não haja avanço considerável nos próximos dias. Devido às condições o estado de greve foi mantido e não é descartada uma paralisação se a empresa não cumprir sua parte da proposta.

Os números são alarmantes e já somam 05 casos só neste início do ano, o que equivale a quase o total do mês de janeiro de 2017. O Espírito Santo já é o estado com maior percentual de violência contra agências dos Correios em todo o Brasil.

O sindicato, que já ingressou com ação na Justiça do Trabalho e aguarda sentença também propôs a criação de uma comissão de trabalhadores que acompanharão a situação da falta e segurança nas unidades.

Violência: ano novo, velhos problemas

A falta de segurança segue como problema e nos primeiros dias de 2018 já foram registrados o equivalente a mais da metade em relação ao mesmo período do ano passado

A chegada de um novo ano traz consigo a esperança de dias melhores, mas para os trabalhadores dos Correios no Espírito Santo há pouca expectativa de que as coisas melhorem como devem. Isso porque os casos de violência no estado continuam a acontecer e a DR-ES segue lavando as mãos.

Em apenas uma semana já foram registrados 04 assaltos a agências, praticamente 01 assalto por dia se considerarmos os dias de trabalho e a jornada reduzida durante o sábado. Somente no dia 03 de janeiro foram três casos: AC Aracruz, AC Domingos Martins e AC Laranjeiras (Serra). Os números assustam e já são quase os mesmos do mesmo período de 2017.

O capital humano de uma empresa deveria ser visto como seu principal patrimônio. Sobretudo em uma estatal, é dever da diretoria zelar pela vida de seus trabalhadores. O corte dos investimentos em segurança no meio do ano passado e a intransigência da ECT ferem a dignidade não apenas de quem sofre a violência, mas de todos que continuam expostos a ela. Mais de 60% dos municípios do Espírito Santo já registraram algum tipo de violência contra trabalhadores dos Correios. A próxima vítima pode ser um trabalhador, um cliente ou um de seus familiares. Vamos esperar o pior acontecer?

Espírito Santo Mapa Violência.png

Já foram registrados casos de violência em quase todos os municípios do Espírito Santo

Os números evidenciam que a tendência é piorar e por mais que ações jurídicas sejam ferramentas para pressionar a ECT, é inevitável radicalizar. Cruzar os braços em defesa das nossas vidas, de um local seguro de trabalho, por mais dignidade e por segurança para toda a sociedade. Uma empresa do tamanho dos Correios não pode ser refém. Os ecetistas não podem mais trabalhar com medo!

Assembleia para deflagração de greve devido ao alto índice de assaltos no ES

Data: 09/01/2018

Hora: 18h

Local: auditório do SINTRACONST-ES (R. Pereira Pinto, 37 Centro, Vitória-ES)

PARTICIPE! SÓ A LUTA VAI MUDAR ESTA SITUAÇÃO.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Correios Prestadora de Serviços Postais, Telegráficos, Encomendas e Similares do Estado do Espírito Santo – SINTECT/ES, CNPJ: 28.521.474.0001/06

O Presidente do SINTECT-ES, no uso de suas atribuições legais e estatutárias convoca todos os trabalhadores dos Correios do Estado do Espírito Santo, associados ou não para assembleia extraordinária a realizar-se no dia 09 de janeiro de 2018 no auditório do SINTRACONST-ES, sito a Rua Pereira Pinto, 37 – Centro – Vitória – ES às 18:00h em primeira convocação e em segunda convocação às 18:30h, com qualquer número de presentes para deliberar sobre a seguinte pauta:

1 – Considerando o alto índice de assaltos em agências de Correios, deliberar sobre GREVE por tempo indeterminado a partir da 0h do dia 10/01/2018;

2 – Informes gerais.

Esta instância tem poderes deliberativos e as decisões tomadas atingirão todos os integrantes da categoria profissional independente do comparecimento.

Vitória – ES, 05 de janeiro de 2018.

Fischer Marcelo Moreira dos Santos

SINTECT/ES

O cinismo do presidente que está massacrando os ecetistas

O cinismo do presidente que está massacrando os ecetistas

Na manhã desta segunda-feira (18) o “Bom Dia Brasil” exibiu uma matéria sobre o prejuízo dos Correios causados por indenizações. Tendencioso como sempre, o noticiário matutino da Rede Globo não se preocupou com uma lição básica do jornalismo: ouvir todos os lados. Somente uma cliente dos Correios e o presidente da empresa tiveram suas opiniões registradas.

Assista ao vídeo da matéria clicando aqui.

Citada na matéria como uma das causas das indenizações, os assaltos constantes não foram aprofundados. Como não convém a eles dizer, as pessoas não saberão que muitos desses assaltos poderiam ser evitados casos o investimento em segurança não tivessem sido cortados pela metade enquanto trabalhadores colocam suas vidas em risco.

Guilherme Campos, com seu cinismo habitual, aproveitou também para culpar mais uma vez o plano de saúde e jogar nas costas da categoria o insucesso de sua gestão atrapalhada. Falando em gastos que correspondem em torno de 10% do faturamento da empresa, ele se queixa de um plano que – ora só! – atende aos trabalhadores e suas famílias. Talvez alguém devesse lembrar a este senhor que a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos é PÚBLICA e o lucro não deve ser sua prioridade, mas a vida dos trabalhadores com certeza merece mais zelo.

Mas zelar pela coisa pública não parece estar nem um pouco entre os objetivos de quem se aliou à gangue que assaltou a democracia.

Guilherme Campos é capanga de Temer, mas não apenas isso

0000

Quando ouvir que “Campos é Temer” não pense que se trata apenas de opinião político-partidária. Essa é uma verdade que precisa estar cada dia mais evidente se você é um trabalhador dos Correios preocupado com seu sustento e o de sua família. O empresário e político Guilherme Campos segue à risca a cartilha do golpe: corta dos de baixo para sustentar mamatas na parte de cima.

Em uma entrevista recente ao Estado de São Paulo em que cita as medidas para recuperar a empresa, Campos culpa a todos, menos sua gestão desastrosa que está nos levando a todos para um abismo. Ele não diz, por exemplo, que sua primeira medida foi aumentar o próprio salário. Campos até fala que contratou uma empresa de consultoria, mas não diz que o contrato milionário foi feito SEM LICITAÇÃO. Sobre isso, aliás, outra coisa que Guilherme Campos não explica são os diversos contratos duvidosos como o denunciado pela Carta Capital na última semana. Segundo a publicação a disputa partidária e até financiamento de campanhas do PSD (sigla de Campos e Kassab) seriam o objetivo da fraude.

Leia mais sobre a denúncia

Eis aí porque é preciso não apenas “temer”, mas enfrentar Guilherme Campos como o que ele é: um aventureiro a serviço do golpe que pretende continuar pilhando o país. Campos já foi deputado federal por dois mandatos e é provável que se candidate no próximo ano. Ainda que não seja do Espírito Santos, os ecetistas capixabas têm o dever de mostrar o resto do Brasil exatamente que tipo de gente ele é: um golpista!

Os ataques à estatal

Não deve causar surpresa que a Globo use seus jornais para atacar uma empresa pública. De olho no filão que representa a privatização de uma empresa do porte dos Correios, a emissora carioca também cumpre seu acordo com o Governo Temer, afinal desde que assumiu a presidência as verbas para publicidade cresceram exponencialmente. Só para veículos do Grupo Globo houve aumento de mais de 50% e para a Infoglobo – responsável pelo Jornal O Globo – cresceram 82% em comparação a 2015. Coincidência?

anti-globo

Em um cenário de “ajuste fiscal” em que o próximo alvo é a previdência dos trabalhadores, chama a atenção cifras exorbitantes. Não era esse o governo que precisava cortar horas de almoço do trabalhador para recuperar a economia? De onde vem tanto dinheiro? Ou melhor: para quê desembolsar tanto dinheiro com publicidade?

A resposta não é difícil de encontrar se você fizer uma leitura crítica das principais manchetes dos jornais. Que a Globo faça o jogo sujo do Temer não e nenhuma surpresa, afinal ela foi uma das principais fiadoras do Golpe – aliás, DOS GOLPES, já que inclusive já admitiu participação durante o período da Ditadura (1964-1985). Mas, para além disso, é preciso lembrar que a comunicação no Brasil não é democrática. Está e sempre esteve a serviço da mesma elite que governa este país há mais de 500 anos. São cerca de 11 famílias entrando todos os dias nos lares brasileiros e dizendo que devemos defender os privilégios deles enquanto trabalhamos até a morte. Logo, é óbvio que o que é veiculado atende aos interesses de quem paga por aquilo, bem como de quem também vai lucrar.

É preciso lembrar ainda que muitos políticos também são donos de veículos de comunicação. A prática, proibida no Brasil, é resolvida com o uso de “laranjas”. Com o nome de outras pessoas, rádios, jornais e emissoras de TV são pautadas de acordo com os interesses de quem deseja seguir manipulando o povo. Por isso é tão importante prestigiar a imprensa alternativa, blogs progressistas e a comunicação sindical, feita por e para os trabalhadores.

 

SINTECT-ES lança campanha em defesa dos Correios

Durante a Conferência Estadual, realizada no dia 24 de novembro no auditório da Faculdade Estácio de Sá, a assessoria de comunicação do SINTECT-ES apresentou também uma campanha em defesa dos Correios. Com o título “Defender os Correios é defender o Brasil”, a campanha tem como objetivo propor diversas ações que permitam comunicar a importância de preservação do caráter público da ECT.

Defesa dos Correios

Identidade visual da campanha

 

A identidade visual acompanha o material feito para panfletagem durante a campanha salarial. Na ocasião foi desenvolvido um panfleto com explicações sobre os principais pontos da “crise” pela qual os Correios estão passando. Em pequenos trechos é possível entender os motivos do atual sucateamento promovido pela gestão Guilherme Campos, quem lucra e quem perde com uma possível privatização. Como a recepção foi boa, o sindicato decidiu estender as ações desenvolvendo uma campanha que ampliasse o diálogo, sobretudo com a população, escolhido como público principal.

CONF. CORREIOS-40

Assessoria do SINTECT-ES apresentou oficialmente a campanha

Durante a apresentação, ressaltou-se a importância de defender os Correios e sua função social, debatendo integração, segurança e soberania nacional. Durante os próximos meses novas atividades serão propostas. Luara Ramos, assessora do SINTECT-ES reafirmou a importância da participação de todos os trabalhadores para que a campanha tenha sucesso.

Faça o download do material em PDF: Defesa dos Correios