DÉFICIT BILIONÁRIO É CONSTATADO E POSTALIS QUER JOGAR A CONTA PARA OS PARTICIPANTES

No dia 05 de março de 2015 foi aprovada a contribuição extra de 25,98% para os participantes do Postalis que estão ligados ao plano BD (benefício definido).  A decisão do equacionamento foi determinada pela PREVIC, caso contrário, haveria uma intervenção no instituto e a possibilidade de não sobrar nada. Podendo prejudicar àqueles que já se encontram hoje em benefício e inviabilizando os próximos. De acordo com o conselheiro deliberativo Sr. Manoel Santana, os principais motivos que motivaram a aprovação do novo equacionamento foram os perigos de uma intervenção que poderia trazer prejuízos ainda maiores aos participantes. Já com a contribuição aprovada abre-se brechas para ações judiciais questionando valores e os próprios investimentos feitos pelo instituto.

Várias matérias veicularam os prejuízos do Postalis, inclusive aqui no ES, conforme matéria publicada em A Gazeta (24/03/2015), onde o presidente do SINTECT-ES Fischer Marcelo esclarece alguns pontos. Alguns meios de comunicação estão divulgando informações equivocadas que só confundem ainda mais o trabalhador. Por este motivo relacionamos uma série de perguntas e repostas para esclarecer a situação e informar sobre as medidas que serão adotadas pelo SINTECT-ES.

charge_divida_publica2 QUEM SERÁ ATINGIDO?

O déficit é relacionado ao plano BD do Postalis. Atualmente existem dois planos: o BD e o Postalprev. Para ficar mais claro, quem ingressou na empresa até de 2005 ao Plano de Benefício Definido, os demais se encontram fora do mesmo. Assim significa dizer que o referido desconto é relacionado ao plano antigo o BD, e não atinge os beneficiários do Postalprev que se encontra sem problemas.

POR QUE O ANTIGO PLANO FOI SALDADO?

Em 2008, o plano foi saldado e definido valor por já apresentar vários problemas de saúde financeira e por ter a reserva matemática apontando dificuldades para honrar compromissos futuros e que possivelmente, o levaria a falência.

O primeiro fato era a questão do cálculo do benefício. O cálculo era com base nas últimas contribuições do empregado que iria se aposentar. Muitos gestores eram nos últimos anos de trabalho promovidos a gerente de grandes áreas. Com o aumento do seu salário o benefício também subia. Assim, um empregado, por exemplo, que por quase 30 anos contribuiu sobre um salário de R$ 1.000,00 e nos últimos anos contribui em cima de um salário de R$ 5 mil, ao se aposentar a complementação seria com base nos 5 mil e não nos R$ 1.000,00. Quem pagaria o restante? O grupo todo. Isso aconteceu com muitos benefícios, gerando prejuízo para os participantes que estavam obrigados a arcar com esse desequilíbrio, foi o famoso “Trem da Alegria dos Correios”. Outro fator que fez a situação chegar a este ponto foram os maus investimentos por parte do Postalis, a lista é longa e envolve até aplicações em títulos de bancos liquidados.

“Essas aplicações foram feitas por gestões anteriores da fundação, cujos dirigentes foram autuados pela PREVIC, órgão regulador do setor, em 2013, por aplicações feitas em desconformidades com as regras de mercado.”  Jornal Valor Econômico de 25/03/2015.

Vale destacar também que a ECT decidiu não pagar mais a RTSA (Reserva Técnica de Serviço Anterior) na casa de R$ 1,5 bilhão. Todos estes acumulados de prejuízos estão sendo impostos aos participantes que são os trabalhadores do plano antigo, o BD.

O POSTALPREV TAMBÉM ESTÁ EM RISCO?

O Postalprev não apresentou problemas na sua administração até então, este plano funciona como uma espécie de poupança, onde o participante receberá aquilo que contribui ao longo dos anos mais a parte que a empresa contribuir. Nesse ponto, o Postalis foi correto em saldar o antigo plano em 2008, que causava grandes distorções. Favorecendo o alto escalão e apadrinhados para o restante do grupo pagar no fim das contas.

A CONTRIBUIÇÃO EXTRA DO POSTALIS SERÁ SOBRE OS SALÁRIOS NO PERCENTUAL DE 25,98%?

Um dos grandes equívocos por parte da imprensa foi a informação sobre o desconto. A contribuição não terá como base o salário, mas o valor saldado do antigo plano. Cada participante tem um valor diferente, pois depende do que contribuiu.  Este valor saldado corresponde ao valor do benefício (complementação) que receberia caso se aposentasse hoje. Qualquer valor desconto dessa natureza no salário não poderia ser permitido.  Quanto aos aposentados, o desconto será no benefício que será reduzido nesse percentual de 25,98% e serão os mais afetados.

O QUE O SINDICATO ESTA PROCEDENDO CONTRA ESTA CONTRIBUIÇÃO EXTRA?

O Sindicato já acionou a FENTECT que informou já ter impetrado nacionalmente ação judicial contra os valores cobrados indevidamente. Para nos assegurarmos entraremos com ação coletiva aqui no ES também.

Cabe destacar que os Correios é responsável por 1 bilhão, somada a má performance dos investimentos é de 2,7 bilhões.  Dos R$ 5,6 bilhões somente 1,7 bilhão deriva de mudanças de expectativas de mortalidade e na taxa de juros, o restante é de responsabilidade da ECT. O trabalhador não pode ser responsável por um déficit que não originou.

II COPA SINTECT-ES DE FUTEBOL SOCIETY

II Copa de Futebol Society

Vem aí a II COPA SINTECT-ES DE FUTEBOL SOCIETY. As inscrições das equipes ocorrerão de 02 de Fevereiro e 06 de Março e poderão participar todos os trabalhadores e seus dependentes.

O regulamento será construído juntamente com os coordenadores das equipes e a ficha da inscrição pode ser baixada no link: FICHA DE INSCRIÇÃO_II Copa Sintect-ES

Informações: 27/3024-1345 – 3019-9346

SINTECT-ES

PARALISAÇÃO – UD BARRA DO ITAPEMIRIM

A UD Barra do Itapemirim está com as atividades paralisadas desde ontem (13/01). Os trabalhadores lutam por melhores condições de trabalho, mudança ou expansão do imóvel, além da climatização do setor, pois os aparelhos de ar condicionado já estão comprados e aguardam instalação a aproximadamente 01 ano.

O Presidente do Sintect-ES (Fischer) está presente no local desde ontem, intermediando as negociações junto a empresa.

UD Barra do Itapemirim - Paralisação

ASSEMBLEIA

Conforme publicado no Jornal 069 do Sintect-ES:

ASSEMBLEIA

ASSUNTO: Tirada de delegados para plenária da Fentect

Data: 13/01/15 às 19h.

Local: Auditório do Sintraconst-ES

Rua Pereira Pinto, 37 – Centro – Vitória (Próx. Ladeira São Bento)

Informe aos Trabalhadores e Resposta ao Primeira Hora do Dia 04/12/2014

No dia de hoje (04), a ECT divulgou seu Primeira Hora no qual mostra total desrespeito com os trabalhadores e as entidades sindicais. Mais uma vez, sem acordo firmado, a ECT força o pagamento da PLR, mas dessa vez com valores e regras diferenciadas entre os estados.

Na manhã desta quinta-feira (04), a ECT divulgou em seu informativo Primeira Hora a proposta de pagamento da PLR e a definição do Plano de Saúde. No entanto, o que se viu foi o total desrespeito com os trabalhadores e as entidades sindicais, pois mais uma vez, sem acordo firmado, a empresa força o pagamento da PLR, mas com valores e regras diferenciadas entre estados. Além disso, a proposta apresentada também prevê a precarização do plano de saúde. O pacote inclui a criação de mecanismos para que a empresa não precise distribuir seus resultados nos próximos dois anos e com a ausência de lucro, a partilha poderá ser zero. Outro problema gerado pelo pagamento da PLR por diretoria regional é que isso cria a possibilidade de discutir o acordo coletivo de maneira diferenciada.

Mesmo com todos esses pontos levantados e com a orientação da FENTECT para rejeição da proposta da ECT, o sindicato promoveu duas assembleias no intuito de esclarecer as dúvidas dos trabalhadores, inteirar-nos das opiniões e deliberar as ações necessárias. A federação comunicou que já entrou com denúncia por prática antissindical no Ministério do Trabalho e espera o pagamento diferenciado para exigir a isonomia nos valores, prática que deve ser regra em nossa categoria. Consideramos importante lembrar aos trabalhadores que durante meses tentamos criar alternativas para um pagamento justo. Várias assembleias foram feitas e sempre apontamos o campo negocial como a melhor alternativa, mas o que a empresa apresenta é a troca de R$ 400,00 por dois anos com PLRs ainda menores, a fim de que qualquer intervenção no plano de saúde e a quebra da isonomia da categoria, onde estados pequenos terão salários e benefícios menores que os estados maiores.

Fica claro que a postura da ECT em seu Primeira Hora é colocar os trabalhadores contra as suas representações usando a tática maquiavélica do “dividir para conquistar”. Ceder à chantagem da empresa e cair em seu golpe é enterrar as conquistas históricas e matar qualquer possibilidade de avanço futuro, pois R$400,00 é o valor para quem acha que só isso vale o trabalhador ecetista.

Adicional de Periculosidade/Motociclistas – Procuração e documentos necessários

Diante da intransigência da empresa em não realizar o pagamento do Adicional de Periculosidade aos Motociclistas, ou ainda em fazer a substituição do AADC (Adicional de Atividade Distribuição e Coleta) pelo Adicional de Periculosidade. O SINTECT-ES comunica a toda a categoria ecetista do estado do Espírito Santo, que conforme informado na última assembleia, estaremos ingressando com as ações individuais, afim de garantir que os trabalhadores motorizados (M) possam receber seus respectivos adicionais de atividade e de periculosidade, uma vez que os dois são distintos. Orientamos os trabalhadores motorizados (M)  que tiverem dúvidas, que entrem em contato com o advogado trabalhista no sindicato. O atendimento ocorre nas terças-feiras (09 às 11h) e na quintas-feiras (13 às 16h). Documentos necessários (Originais e Cópias): * Contracheque (Antes do pagamento da Periculosidade, com o AADC / Após o pagamento da Periculosidade, sem o AADC); * Carteira de Trabalho (Folhas: Foto, Qualificação Civil e Contrato de Trabalho); * CPF; * CNH; * Comprovante de Residência.

* NÃO ESQUEÇA DE PREENCHER E ASSINAR AS 03 FOLHAS.

Segue o link para download da procuração: Procuração Motociclistas

Os agendamentos devem ser realizados pelos telefones: 27/3024-1345 – 3019-9346.